Decania do CCS se prepara para 2008

Fim de ano: tempo de refletir sobre o que passou e fazer planos para o futuro. Seguindo essa regra, a Decania do Centro de Ciências da Saúde reuniu seus servidores, na última sexta-feira, dia 14 de dezembro, no auditório professor Rodolpho Paulo Rocco – o Quinhentão, para discutirem melhorias para 2008.

Sob a coordenação do decano Almir Fraga Valadares, os responsáveis pelos diversos setores que compõem o Centro expuseram suas opiniões e pedidos para o próximo ano. A Biblioteca Central foi o destaque da reunião. Chegou-se a um consenso sobre as necessidades de refrigeração e conservação do ambiente, além de obras relativas à segurança, como a troca do forro do teto do prédio.

Em entrevista, o decano confirmou a urgência das medidas na Biblioteca. “A Biblioteca é um local de circulação de público, principalmente de estudantes, que são nosso público maior. Há necessidades de segurança e conforto que precisam ser resolvidas no local”, afirmou. A Biblioteca Central recebe cerca de mil pessoas por dia, segundo o decano. Ele ressalta ainda que a questão da segurança só será resolvida com a troca do forro do prédio, que deve ser viabilizada no início do ano.

Valadares comenta também sobre as diversas atividades de rotina que são também importantes, principalmente quando se trata de um prédio de cerca de 50 anos, como o CCS. Entre esses cuidados, estão a manutenção de refrigeração de salas de aula; manutenção de qualidade de banheiros e iluminação adequada, por exemplo.

Projetos de expansão e balanço geral

Não são apenas as medidas de conservação e manutenção que ganham destaque nos planos para 2008 na Decania. Com o Plano de Reestruturação e Expansão (PRE) aprovado na UFRJ e já enviado para o MEC, algumas medidas de expansão são necessárias. É o caso do Pavilhão de Salas de Aula. “O projeto consiste em um prédio novo, nos fundos do CCS, que resolveria por um bom tempo a questão de locais adequadas para aulas”, explica o decano.

Para Almir Fraga Valadares, 2007 pode ser considerado um bom ano, apesar de muitas adversidades. O primeiro semestre foi marcado pela greve dos servidores. Segundo o decano, o fato não impediu o funcionamento normal da Decania, mas dificultou a implantação de algumas idéias novas, além da rotina.

O segundo semestre, para Almir Fraga, foi tomado pelas discussões intensas sobre o PRE. Entretanto, ele acredita que os debates foram produtivos. ”Esperamos que o governo cumpra agora com a sua parte”, afirma o decano, que faz um balanço geral positivo do ano para a Decania do CCS. “Independente de todas as dificuldades passadas, o bom relacionamento na comunidade foi bom e acho que esse é o primeiro passo para que as coisas possam avançar”, finaliza.