Encontro discute a formação da Cidadania

 Ocorreu na sexta-feira (09/10) a abertura do Encontro Saúde e Educação para a Cidadania 2009. O evento,  promovido pela Decania do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio de Janeiro,  teve como tema “Divulgação Científica e Saúde”.

A abertura oficial ficou a cargo da professora Diana Maul de Carvalho, coordenadora de Extensão do CCS/UFRJ, e do professor Almir Fraga Valladares, decano do CCS/UFRJ. Almir agradeceu a participação de todos e destacou a importância da cidadania, que, segundo ele, é a consciência dos direitos e deveres que leva a uma integração social em que todos respeitam a si próprios, aos outros e ao ambiente. O professor lembrou ainda que, para o desenvolvimento da cidadania, é necessário o preenchimento de requisitos como acesso de todos à saúde, segurança e educação a fim de proporcionar melhor qualidade de vida.

A mesa de abertura contou com a presença de Wagner Seixas da Silva, professor e coordenador do setor de extensão do Instituto de Bioquímica da UFRJ, Denise Lannes, docente colaboradora da área de extensão em Educação em Ciências do Centro de Educação a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Fundação Cecierj), e da aluna de doutorado do IBqM/UFRJ  Margarete Friedrich, professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, representante da professora Jacqueline Leta, que não pôde comparecer ao evento.

O professor Wagner Seixas abriu a mesa falando sobre as atividades de extensão promovidas pelo Instituto de Bioquímica da URFJ. Segundo Seixas, dentre os programas mais importantes desse setor estão os cursos de férias, que foram desenvolvidos pelo professor Leopoldo de Meis a partir dos anos 80.

O objetivo dos cursos de férias, de acordo com Seixas, é criar uma integração entre a escola e a universidade e assim levar o meio científico para perto dos alunos. Os cursos são experimentais e intensivos e possuem duração de duas semanas para os professores e de uma semana para os alunos. O objetivo desses cursos é desenvolver visão da prática científica a partir da vivencia e reflexão sobre o cotidiano do ambiente cientifico.

Os cursos de férias deram origem a cursos de aperfeiçoamento (lato sensu) para professores e ao Programa Jovens Talentos, que seleciona alunos do ensino médio que se destacaram durante o curso de férias, que sejam de família de baixa renda e que tenham interesse em prestar vestibular e lhes oferece estágio na área de saúde e preparação para o vestibular. O próprio professor Wagner foi um aluno desse projeto.

A próxima meta, segundo Seixas, é ampliar os cursos de férias para localidades fora da Universidade, atingindo áreas carentes como a baixada fluminense e levar os cursos também para o interior. Para que isso seja possível foi feita uma parceria com o curso de ciências biológicas da CEDERJ.

A professora Margarete Friedrich falou um pouco sobre outro projeto da área de extensão chamado “Trocando Figurinhas”, que também tem o objetivo de juntar universidade e escola, através da viabilização do contato de professores e alunos com pesquisadores.

Os cursos tem duração de 4 horas e tem como público alvo alunos de ensino fundamental ( na faixa de 10 a 14 anos) e moradores de áreas carentes como Pavuna, ramos e Bangu.

Denise Lannes encerrou a mesa contando um pouco do programa Educação, Gestão e Difusão em Biociências, que promove cursos de aperfeiçoamento em educação (lato sensu) para professores da educação básica.

A professora aproveitou a ocasião para fazer a divulgação da revista produzida pelo projeto. A publicação intitulada de “em Formação” é uma revista de divulgação cientifica que é distribuída em Escolas Públicas do Rio de Janeiro. A revsita é uma publicação semestral, está na terceira edição, e tem a tiragem de três mil exemplares.