Lassbio completa 20 anos

Por Natalia Sales 

Para comemorar os 20 anos de existência, o Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas (LASSBio/UFRJ) organiza um workshop na quinta e sexta-feira (25/9 e 26/9). O evento acontece no Auditório do Bloco N, CCS/UFRJ, Cidade Universitária, Ilha do Fundão. Além de palestras, também será apresentado um vídeo mostrando a trajetória do projeto e um livro com imagens e textos relembrando cada passo desde a criação.

De acordo com o coordenador do laboratório, Professor Eliezer J. Barreiro, a jornada foi iniciada com a construção de um grupo de pesquisas em química medicinal na UFRJ e contribuiu para novos conhecimentos nessa área no Estado do Rio de Janeiro. “Foram inúmeros projetos de pesquisa concluídos, alguns como tema de teses de doutoramento e outros como dissertações de mestrado, facilmente ultrapassando a marca da centena em titulações por diferentes programas de pós-graduação strictu-sensu da UFRJ”, lembrou.

O interesse de pesquisa do LASSBio é na área voltada para o planejamento racional, projeto estrutural, síntese e avaliação farmacológica de novos compostos candidatos a se tornarem medicamentos. O objetivo do projeto é estudar a concepção de novos padrões moleculares relacionados a uma determinada doença e assim fazer uma avaliação farmacológica em seres vivos que permitam provar as propriedades desejadas. Além disso, inclui o estudo precoce das propriedades farmacocinéticas e eventual toxidade de novos compostos de chumbo, completando os estágios pré-clínicos da cadeia de inovação farmacêutica.

Segundo o professor Carlos Alberto Manssour Fraga, vice-coordenador do laboratório, o laboratório busca descobrir um fármaco e transformá-lo em medicamento. “As pesquisas nesse sentido avançaram muito e foi descoberta uma molécula de ação cardiovascular que está passando por testes clínicos, algo que leva as pesquisas do projeto a um destaque internacional”, revelou.

O LASSBio atingiu posição reconhecida de excelência na área no país, inclusive com inserção no exterior. Promoveu eventos nacionais e internacionais difundindo a química medicinal. Pesquisadores renomados do Brasil e de outros países visitaram e deram palestras no laboratório, entre eles a professora Camile George Wermuth, da Université Louis Pasteur, em Estrasburgo, na França e o professor Robin Ganellin, da University of London, na Inglaterra.