Samba encerra encontro de Saúde

 O encerramento do encontro Saúde e Educação para a Cidadania foi marcado por música e confraternização na edição especial do Sambando com a Ciência. A roda de samba ocorreu no auditório Professor Rodolpho Paulo Rocco, o Quinhentão, na última sexta-feira, 10 de outubro.

De acordo com Raul Lauar, organizador do evento, o show não marca ainda o retorno das rodas de samba mensais do CCS. “O que será realizado hoje ainda não é o retorno do projeto em si. Estamos aqui a convite da coordenação de extensão, para fazer o encerramento”, explicou Raul antes do show. A tramitação do projeto, que chegou a ser aprovado pelo Conselho do Centro de Ciências da Saúde, foi interrompida pelo extravio de papéis.

Problemas burocráticos à parte, o clima era de festa no salão do Quinhentão, que esperava cerca de 350 convidados que não precisaram pagar nada para conferir a programação, que incluía Alex do Tuiuti, Moleque Chibil e, fechando o evento, Wantuir e Mulatas, uma das atrações mais aguardadas pelo público.

O grupo Ta Ligado ficou com a tarefa de abrir a noite. “A história do Ta Ligado é de 15 anos atrás, quando fazíamos rodas de samba no Cordão da Bola Preta. Começou como uma brincadeira entre amigos funcionários do HU (Clementino Fraga Filho) e o trabalho foi se tornando mais profissional”, conta Dimas Bispo, vocalista e líder do grupo, enquanto prepara os últimos detalhes para o show começar.

Entre os funcionários – maioria de público – a aprovação à iniciativa é grande. Ioara Albino, funcionária do HUCFF, participava pela primeira vez do evento e estava animada com a programação. Para ela, a proximidade do local de trabalho e a segurança fazem do evento uma boa opção de lazer. “É ótimo sair do trabalho e ter um lazer pertinho, sem precisar pegar ônibus. É muito bom estar nesse ambiente gostoso, sabendo que não há preocupação com a questão da segurança, o que é muito importante”, comentou a enfermeira.

Já Sandra Brabo, também funcionária do HU, elogia a possibilidade de integração proporcionada pelo encontro. Segundo ela, a mobilização foi grande no Centro Cirúrgico e a propaganda boca a boca funcionou bem. “Essa confraternização é muito legal, porque como a gente trabalha junto, também precisamos nos distrair juntos. Afinal, precisamos de um tempo pra relaxar, ainda mais com esse estresse do dia-a-dia”, afirmou Sandra.

Além das atrações, estavam previstos intervalos com dança de salão. De acordo com Raul Lauar, a expectativa é de que no ano que vem o evento volte a ser regular, mas isso depende da tramitação do projeto e do financiamento de patrocinadores, que está sendo negociado.