Delegacia especializada da Polícia Federal investiga furto de livros

Dois agentes da Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e Patrimônio Histórico (Delemaph) da Polícia Federal visitaram nesta sexta, 5/5, a Biblioteca Pedro Calmon da UFRJ, como parte das investigações do roubo de 303 livros raros e outras 120 obras do acervo da instituição. A delegacia acompanha o caso após reunião na quinta-feira com representantes da Universidade.

Doze livros já foram recuperados

Na reunião desta semana, a UFRJ pediu apoio da Delemaph para reincorporar ao acervo três obras interceptadas a caminho da Europa e que agora estão sob a guarda da Polícia Federal em São Paulo. São livros dos séculos 17 e 18 sobre Medicina e História Natural. Outras nove obras já foram reincorporadas à biblioteca.

A Universidade também apresentou à PF os resultados da sindicância interna iniciada em novembro passado e finalizada em março deste ano. Devido à gravidade do caso, a Reitoria decidiu abrir esta semana uma nova sindicância, para documentar de forma precisa o acervo subtraído e apurar responsabilidades. Este foi o primeiro caso de roubo na Biblioteca Pedro Calmon, que desde 1950 guarda o acervo.

Desde o registro do furto, a UFRJ vem adotando práticas para reforçar os mecanismos de segurança já existentes, em especial os relativos à proteção de acervos raros. A Reitoria pretende acionar órgãos internacionais para reaver o patrimônio.