Reitoria lança campanha Essa Conta é de Todos

Atitudes simples podem impactar diretamente a Universidade. Essa é a premissa da campanha Essa Conta é de Todos, promovida pela parceria entre Reitoria e Prefeitura Universitária, e carro-chefe da instituição no ano de 2017. Na quarta-feira (3/5), servidores responsáveis pela administração predial da Cidade Universitária e de outras unidades foram apresentados à ação, que tem como objetivo diminuir os gastos com energia elétrica, a maior despesa da UFRJ.

Durante a apresentação, realizada no auditório Pangea, no CCMN, foi mostrada a realidade financeira da Universidade, que passa por um momento delicado, após seguidos cortes e contingenciamentos no orçamento. Neste contexto, a conta de luz é um dos grandes desafios da Universidade. Com um gasto na casa dos R$ 25,6 milhões em 2014, a UFRJ teve um aumento de quase 80% no ano seguinte devido ao “tarifaço”. Os gastos continuaram a crescer em 2016, com a expansão dos campi e a inauguração de novas instalações, como o Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (Ladetec), alcançando R$ 53 milhões.

O reitor da Universidade, Roberto Leher, elencou três motivos principais para a campanha Essa Conta é de Todos ser central na UFRJ: a questão orçamentária, que engloba a necessidade de garantir o pagamento das contas em dia; a crise energética global, que contribui para mudanças climáticas e afeta ecossistemas; e a importância de se ter consciência do uso dos recursos públicos que pagam as contas da Universidade. “Precisamos ter esse alcance com a nossa comunidade para reduzir custos, reduzir impactos e fazer bom uso do dinheiro público. Nós temos este dever ético e moral”, defendeu ele.

“A ideia é promover uma economia de 20% a 25% apenas com a conscientização dos alunos e trabalhadores”, afirma Paulo Mário Ripper, prefeito universitário. É essa proposta que estampa as peças da campanha, que estarão expostas nos campi da UFRJ e disponíveis no hotsite Essa Conta é de Todos. Elas recordam a importância de apagar as luzes, desligar o ar-condicionado, tirar aparelhos stand-bys da tomada, entre outras medidas.

Outra iniciativa da campanha é conscientizar laboratórios para o melhor uso dos recursos energéticos. Segundo Ivan Carmo, pró-reitor de Gestão e Governança, é possível reduzir sem sofrimentos. Tendo em vista que a maior parte das experiências são realizadas após as 18 horas – horário considerado "faixa vermelha" e com custo muito mais alto por killowatt/hora –, ele sugere que os horários de atuação sejam trocados, sempre que possíveis, para evitar esse gasto a mais.

O superintendente geral de Planejamento e Desenvolvimento, George Pereira, explicou que, com a economia de 25% dos gastos com energia elétrica, no valor de R$ 13,8 milhões, seria possível fazer reformas no alojamento, no Palácio Universitário e no CAP, além de pagar a construção do restaurante universitário da Praia Vermelha.

Este foi o segundo encontro da Administração Central com os responsáveis prediais. O primeiro foi realizado na quarta-feira (19/4), no campus da Praia Vermelha, e reuniu servidores atuantes nas unidades da região do Centro e Zona Sul.

Para mais informações sobre a campanha e sobre como contribuir, acesse: www.ufrj.br/essacontaedetodos.