PBMC divulga relatório sobre vulnerabilidade das cidades costeiras

O PBMC divulgará na segunda-feira (5/6), no Museu do Amanhã, o relatório Impacto, vulnerabilidade e adaptação das cidades costeiras brasileiras às mudanças climáticas. Este será o segundo documento produzido pelo painel e tem como objetivo contextualizar o impacto das mudanças climáticas nas cidades. O primeiro foi divulgado durante a COP 22 (Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas), no Marrocos, em 2016. 

O evento tem como objetivo promover uma discussão com especialistas, pesquisadores, tomadores de decisão e a sociedade civil sobre as vulnerabilidades das cidades costeiras brasileiras, diante dos eventos climáticos. No caso do Brasil, essas vulnerabilidades estão associadas a fragilidades sociais e econômicas, como a pobreza, transporte precário e falta de financiamento para implementar medidas de adaptação, em especial para melhoria da infraestrutura em cidades. 

De acordo com a presidente do Comitê Científico do painel, Suzana Kahn Ribeiro, além de ampliar o conhecimento sobre os problemas, o relatório apresenta maneiras de minimizar os danos às cidades que serão afetadas: "A elevação do nível do mar e das temperaturas já é uma realidade e, no Brasil, a extensão desses impactos ainda é muito maior, já que grande parte das regiões está localizada nessas áreas.” A professora da Universidade acrescenta que não há como evitar os danos, mas é possível implantar soluções no sentido de se adaptar a uma nova realidade.  

Para Suzana, há evidências científicas suficientes para a tomada de ações. Por isso, é necessário o debate entre os diversos setores da sociedade civil, estados, municípios, União e também formadores de opinião: "Temos o argumento do conhecimento, mas ele ainda não tem sido suficiente para tirar as pessoas da inércia. A ciência, somente, não é capaz de fazer tudo sozinha. É preciso pensar – e agir - sobre o que se pode fazer, por isso é preciso debater o quanto antes sobre esses problemas", conclui.

 

Confira a programação completa

Data: 5/6/2017

Local: Museu do Amanhã – Rio de Janeiro (RJ)

 

Cronograma

8h30 às 9h - Credenciamento

9h às 9h30 - Café de boas vindas

 

10h - Abertura

Ricardo Piquet – diretor geral do Museu do Amanhã 

Suzana Kahn – presidente do Comitê Científico do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas e professora da Coppe/UFRJ 

Andréa Santos - secretária executiva do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas 

Luiz Davidovich - presidente da Academia Brasileira de Ciências 

Everton Lucero - secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental – Ministério do Meio Ambiente

 

10h às 11h30- Lançamento do Relatório Especial do PBMC: Impacto, vulnerabilidade e adaptação das cidades costeiras brasileiras às mudanças climáticas

Jose A. Marengo Cemaden – coordenador geral de Pesquisa e Desenvolvimento e assessor internacional 

Fábio Scarano - UFRJ/ FBDS - Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável 

Debatedora: Andréa Santos - secretária executiva do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas

 

11h30 às 12h30- A percepção dos impactos das mudanças climáticas pela sociedade: a importância da informação

Luiz Alberto Oliveira - curador do Museu do Amanhã 

Ana Lúcia Azevedo - jornalista do  Jornal O Globo 

Cláudio Ângelo - coordenador de Comunicação do Observatório do Clima - autor do Livro A Espiral da Morte 

Daniela Chiaretti - jornalista e correspondente ambiental do Valor Econômico 

André Trigueiro - jornalista da Rede Globo 

Mediadora: Suzana Kahn -  presidente do Comitê Científico do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas e professora da Coppe/UFRJ

 

12h30 às 13h00- Recomendações para tomadores de decisão

Carlos Nobre - presidente do Conselho Diretor do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas 

Israel Klabin - presidente da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável 

Alfredo Sirkis - secretário executivo do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas