Nota da Reitoria sobre corte intempestivo de energia elétrica 

A Reitoria da UFRJ manifesta sua indignação e preocupação com o corte intempestivo de energia elétrica realizado pela empresa Light S/A nesta sexta-feira (23/6), nas instalações do edifício Jorge Machado Moreira (JMM) e da Faculdade de Letras.

A medida foi tomada de forma abrupta, sem aviso prévio, a despeito de os pagamentos de 2017 estarem regularizados e as quitações correntes em juízo (setembro e outubro do ano passado) transcorrerem dentro do acordado entre as partes.

Em relação ao passivo de 2016, reforçamos que o atual ministro da Educação assumiu publicamente seu compromisso com os pagamentos, cuja liberação é esperada pela UFRJ.

Na manhã de hoje, a Pró-Reitoria de Planejamento, Desenvolvimento e Finanças (PR-3) voltou a acionar o MEC visando a agilizar a liberação de financeiro e solucionar mais esse caso absurdo de abuso econômico da empresa.

Não é a primeira vez que a Light age de forma antirrepublicana e antiética em relação à UFRJ. Mais de 4 mil estudantes da Faculdade de Letras, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e Escola de Belas Artes foram afetados em pleno final de período, sem contar os inúmeros procedimentos administrativos em curso, em áreas estratégicas de ensino, pesquisa e extensão, atendimento hospitalar, entre outras. 

Por meio da Procuradoria Federal na UFRJ, a Reitoria está tomando todas as medidas necessárias para garantir o restabelecimento imediato da energia elétrica nas referidas instalações. 

Cidade Universitária, 23/6/2017

Roberto Leher

Reitor da UFRJ