Mobilização na UFRJ para auxiliar estudantes desalojados

Imagem: Nathália Werneck/ CoordCOM UFRJ

 

A Residência Estudantil da UFRJ, no campus da Ilha do Fundão, foi atingida por um incêndio na madrugada de quarta-feira (2/8). Segundo relatos, um foco foi detectado por volta das 4h em um dos quartos do primeiro andar. O fogo se alastrou em seguida para outros oito apartamentos, sendo controlado por volta das 5h30. A Residência Estudantil fica a poucos metros de uma unidade do Corpo de Bombeiros, que atuou no prédio com 16 viaturas e fez os trabalhos de rescaldo.

A Reitoria tem atuado em duas grandes frentes de trabalho: encontrar espaço adequado para acomodação dos moradores e viabilização de reforma da Residência Estudantil. Uma quadra coberta da Escola de Educação Física e Desportos (EEFD) da UFRJ foi definida como abrigo emergencial para os estudantes. Nem todos, entretanto, optaram por passar a noite no local. Outras soluções estão sendo providenciadas.

O reitor, Roberto Leher, a vice-reitora, Denise Nascimento, e o pró-reitor de Gestão e Governança, André Esteves da Silva, estão em contato com representantes do Ministério da Educação e da Prefeitura do Rio para buscar soluções concretas e emergenciais para a UFRJ.

Nas primeiras horas da manhã, representantes da Reitoria encaminharam-se ao local para prestar apoio aos estudantes e atuar nas demandas emergenciais. Reunidos com os estudantes que ficaram desalojados, ouviram as revindicações e comprometeram-se a dar apoio integral em todas as demandas.

Um estudante sofreu fratura na perna ao tentar sair do local e foi hospitalizado. A Superintendência Geral de Políticas Estudantis (SuperEst), por meio da Divisão de Saúde do Estudante, colocou assistentes sociais em regime de plantão no local para encaminhar aos serviços de saúde os estudantes que necessitarem.

Laudos

A Prefeitura da UFRJ solicitou laudos à Defesa Civil, ao Corpo de Bombeiros e à Polícia Federal. Parte das vistorias foram feitas, mas o acesso ainda depende de liberação dos órgãos competentes. Uma comissão da Coppe/UFRJ também fará avaliação independente. A causa do incêndio ainda não é conhecida. Por questões de segurança, toda a ala onde ocorreu o incêndio está interditada e a outra ala da Residência Estudantil tem funcionamento normal.

 

Imagem: Nathália Werneck/ CoordCOM UFRJ