UFRJ pode perder todas as bolsas vinculadas ao CNPq

A UFRJ pode perder todas as bolsas vinculadas ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) dentro de um mês, caso o orçamento do órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) não seja descontingenciado. Ao todo, 24 modalidades de financiamento ficariam comprometidas, somando 3.596 bolsas.

As áreas mais impactadas seriam produtividade em pesquisa (930 bolsas), doutorado (837), graduação (aproximadamente 700) e mestrado (562). De acordo com a Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PR-2) da UFRJ, com a efetivação do corte, projetos e pesquisas de alta relevância e benefícios para a sociedade brasileira seriam afetados, em todas as áreas do conhecimento.

Confira a tabela. Dados: Portal do CNPq e Divisão de Bolsas da PR-2

De acordo com matéria publicada na manhã de ontem pelo jornal O Estado de S. Paulo, o presidente do CNPq, Mario Neto Borges, afirma que “acabou o dinheiro”. Caso o contingenciamento se efetive, o orçamento do órgão não será suficiente para cobrir bolsas e projetos a partir de setembro. O CNPq é vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Leila Rodrigues da Silva, pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da UFRJ comentou a ameaça de cortes. “A pesquisa no país fica comprometida. Em muitas áreas, significa a perda total de tudo o que foi produzido até o momento. Um aluno da pós-graduação que deixa de receber sua bolsa tem grandes chances de interromper seu trabalho. É dinheiro público jogado fora”, criticou.

Em reunião na tarde de ontem, o Comitê do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da UFRJ publicou nota sobre o caso. Confira abaixo a íntegra do texto.

Nota

O Comitê do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, reunido em sessão de 2 de agosto de 2017, vem a público expressar indignação com as notícias veiculadas em relação aos cortes no orçamento do CNPq e à suspensão do pagamento de bolsas de estudo.

O programa de bolsas de iniciação científica e tecnológica é uma iniciativa única no mundo na formação de alunos de graduação, preparando gerações de pesquisadores e contribuindo para a soberania nacional.

Os estudantes beneficiários têm a oportunidade de obter treinamento avançado em laboratórios de pesquisa, preparo para carreiras inovadoras, e inserção na Pós-Graduação. Existente desde a fundação do CNPq, em 1951, o Programa de Iniciação Científica é um patrimônio da comunidade científica e de toda sociedade brasileira.

Esse Programa nunca sofreu descontinuidade, mesmo em momentos mais graves de crise econômica e durante governos de diferentes matizes ideológicos.

Em um momento em que nos deparamos com cortes já concretizados na CAPES, FAPERJ e outros órgãos de fomento, estas notícias causam enorme preocupação em relação à continuidade do PIBIC, uma vez que o CNPq é responsável pela concessão de 50% das bolsas de Iniciação Científica (IC) e Iniciação Tecnológica (IT) na UFRJ.

Avaliamos que há um projeto político em curso, que se concretiza em um ataque e desmonte da Ciência e da universidade pública no Brasil, que acarretará prejuízos inestimáveis para toda a sociedade.

Repudiamos os cortes anunciados no orçamento do CNPq, compreendendo que estes inviabilizam a existência da própria agência e o futuro do país.