Reitor e ministro da Cultura discutem alternativas para o ex-Canecão

foto
Sérgio Sá Leitão e Roberto Leher - foto: Jean Souza (CoordCOM/UFRJ)

 

O reitor da UFRJ, Roberto Leher, reuniu-se na noite desta quinta-feira (24/8) com o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. Eles conversaram sobre ações na área cultural envolvendo a universidade e o governo federal, abordando também as propostas para o espaço onde funcionava a casa de shows Canecão. A reunião aconteceu na Representação Regional do MinC, no Centro, e foi acompanhada pela coordenadora adjunta de Relações Externas da UFRJ, Nadine Borges.

Leher apresentou ao ministro um histórico do que tem feito em sua gestão para reativar o local. Nos últimos anos, houve uma série de audiências com produtores culturais e discussões com setores artísticos da universidade, que possibilitaram elaborar balizamentos. 

Um grupo de trabalho opera na elaboração do modelo de uso e a Coppead (Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da UFRJ) realiza um estudo sobres os custos operacionais. 

“Temos conversado com produtores culturais, mas isso demanda um estudo prévio”, disse Leher. Segundo o reitor, a definição do modelo de viabilização econômica e jurídica ficará a cargo de uma consultoria especializada no tema. A proposta dever ser finalizada em outubro.

O reitor destacou que o modelo de uso precisa ao mesmo tempo devolver um espaço de cultura à cidade, à altura da importância da produção artística consolidada pelo antigo Canecão, contemplando ao mesmo tempo a produção cultural da UFRJ.

Restauração de painel

Sérgio Sá Leitão foi informado que a universidade está fazendo validações do modelo em elaboração. Ele ofereceu apoio à UFRJ para restaurar o painel “A última ceia”, pintado pelo artista em 1967 em uma parede do local. Uma reunião será marcada para estudar as alternativas.

Linha de financiamento para prédios históricos

Roberto Leher apresentou ao ministro outras ações na área de cultura da UFRJ, como a restauração de setores do Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista. O reitor também sugeriu a criação de uma linha de financiamento para restauração de prédios históricos de universidades, por meio de uma articulação entre os ministérios da Cultura, da Educação e do BNDES.