Colégio Brasileiro de Altos Estudos oferece curso interdisciplinar

Pela primeira vez, o Colégio Brasileiro de Altos Estudos (CBAE) da UFRJ ofereceu uma disciplina própria para estudantes de pós-graduação da Universidade. A matéria interdisciplinar Ciência e Cultura e(m) Sociedade (CCS) abordou grandes temas nacionais e universais. Além disso, também foi oferecida a disciplina Estado, Políticas Sociais e Movimentos Sociais (EPSMS), tendo como objetivo lançar questões que envolvem o conflito social, o uso do direito e dos aparatos de Estado e da força física e simbólica. Os cursos foram organizados em sessões em formato de palestra ou mesas, abordando diferentes temas e ocorreu no primeiro semestre de 2017.

O ciclo CCS, ocorrido entre 13/3 e 3/6, recebeu três ou quatro pesquisadores de diferentes áreas em cada um das 13 sessões ocorridas. A interdisciplinaridade das palestras permitiu aos 202 estudantes inscritos e aos 68 ouvintes o intercâmbio em diversas áreas do saber. Um exemplo foi a palestra sobre JunventudeS, tema discutido por meio de diversos olhares, com a presença de Regina Novaes (Instituto de Filosofia e Ciências Sociais), Lucia Rabello de Castro (Instituto de Psicologia) e Valéria Pero (Instituto de Economia).

A comissão responsável pela organização da disciplina, inédita na história do Colégio, foi coordenada pela pesquisadora do Instituto de Bioquímica Médica, Debora Foguel. O CBAE também contou com o apoio do Fórum de Ciência e Cultura (FCC) da UFRJ e da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PR-2). Para a organização, o resultado foi muito positivo: foram entregues 87 trabalhos ao término do curso e cada aluno foi avaliado individualmente com uma dissertação sobre três sessões. “Este curso teve uma resposta surpreendente para nós. Conseguimos uma composição de alunos diversificados, de várias áreas de ensino”, comenta o diretor do CBAE, José Sergio Leite Lopes.

Já o segundo curso EPSMS, ocorrido entre os dias 28/4 e 29/6, foi ligado ao Programa de Memória dos Movimentos Sociais (MEMOV). A disciplina teve como temas o avanço das igrejas neopentecostais, a questão previdenciária, entre outros, que foram debatidos por pesquisadores de ciências humanas de diferentes universidades.

A disciplina foi dividida em duas partes: nas cinco primeiras sessões, leituras foram discutidas em um seminário mais geral. Em seguida, cinco sessões com palestras de pesquisadores em temas específicos. O CBAE participou da segunda parte do curso, que foi elaborado pelo Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) e pelo Museu Nacional (MN). O curso focou em estudantes de pós-graduação dessas unidades da UFRJ, mas contou com a presença de um público fluido. Os coordenadores do curso foram Beatriz Heredia, vice-diretora do CBAE, e Antônio Cariço, pós-doutorando pelo Museu Nacional.