Sintae recebe técnicos-administrativos de todo o país

Foto: Raphael Pizzino/ CoordCOM UFRJ

O V Seminário de Integração dos Técnicos-Administrativos (Sintae) levou ao Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN) as experiências de servidores de universidades e institutos federais de todo o país. O evento, que aconteceu entre os dias 2 e 6/10, buscou refletir sobre a importância do trabalho dos técnicos-administrativos na construção da educação brasileira.     

A edição deste ano recebeu 191 trabalhos, entre apresentações orais e pôsteres, de diferentes estados e instituições, como a Universidade Federal Fluminense (UFF), o Colégio Pedro II (CPII), a Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Universidade Federal do Ceará (UFCE), entre outras. O seminário foi dividido em três eixos: Gestão Pública e Universidade; Ensino, Pesquisa e Extensão; e Saúde e Meio Ambiente.     

Durante a fala de abertura, o pró-reitor de Pessoal, Agnaldo Fernandes, comemorou a ampliação do seminário para englobar servidores de outras instituições além da UFRJ e enfatizou que a Universidade precisa combater a atual conjuntura. “O Sintae ocorre neste contexto: esses trabalhos devem servir como fruto de resistência porque é o nosso trabalho, o que produzimos dentro da Universidade, o que nos faz resistir.”     

A primeira mesa contou com a presença do reitor, Roberto Leher, do superintendente da Pró-Reitoria de Pessoal (PR-4), Pedro Sá, e do coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFRJ (Sintufrj), Francisco de Assis.     

Para Assis, o Sintae ajuda no fortalecimento da categoria na medida em que permite o debate e dá destaque para o trabalho do técnico dentro da Universidade. “Mostrar a importância do trabalho fortalece o técnico e serve como espaço de empoderamento na academia.”     

Leher afirmou que a Universidade, como um sistema complexo, não existe sem outras atividades além da acadêmica. “Para seu pleno funcionamento, são necessárias as áreas financeira, orçamentária, de pessoal, planejamento e também de trabalhadores que possam desenvolver suas funções de maneira consciente e preparada.” O reitor salientou também a necessidade de formar dirigentes aptos, destacando iniciativas como o Programa de Qualificação Institucional (PQI), que destina vagas da pós-graduação para servidores da UFRJ.

Balanço dos cinco anos do Sintae   

 A mesa de encerramento foi composta por servidores que participaram da construção do Sintae durante esses cinco anos. Os presentes celebraram a iniciativa reforçando o crescimento do seminário a cada edição, com a abertura para servidores externos.   

 Segundo Karine Guedes, subcoordenadora da Coordenadoria de Comunicação, o sucesso fica evidente quando comparada à primeira edição, em 2013. À época, o seminário recebeu 105 trabalhos; na edição de 2017, foram 191 trabalhos aceitos.     

Gustavo Cravo, organizador do Sintae, enfatizou que a abertura para trabalhos externos, feita a partir da edição de 2016, veio para enriquecer o debate e mostrar outras realidades. “Nós tínhamos um medo inicial de que com a abertura a participação interna diminuísse, mas isso não aconteceu. Ela cresceu e se manteve estável nos últimos anos”, comemorou.