Novembro terá bandeira tarifária mais alta novamente

Mais uma vez, a bandeira tarifária da conta de energia elétrica será vermelha (patamar 2), agora com o valor extra de R$ 5,00 para cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. A tarifa, que era de R$ 3,50, foi reajustada, apesar de ter sido aprovada na terça-feira (24/10) audiência pública para discutir a revisão da metodologia das bandeiras tarifárias e dos valores de suas faixas de acionamento. Não houve evolução na situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas em relação ao mês anterior e, ainda que não haja risco de desabastecimento de energia elétrica, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) ressalta a necessidade de reforçar as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício. Para a UFRJ, o aumento estimado pela Coordenação de Infraestrutura Urbana da Prefeitura Universitária pode ser em torno de R$100mil, tendo um impacto muito grande para as contas da instituição.

Criado pela agência, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

As bandeiras tarifárias variam exatamente para dar esse sinal aos consumidores. O patamar 2 indica a necessidade de operar usinas térmicas mais caras para compensar a geração hidráulica inibida pela falta de chuvas.

 

Com informações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).