Carta da Reitoria

Celebrar o fortalecimento da comunidade universitária: nas adversidades, a UFRJ brilha!

A instituição social “universidade”, em todas as partes, em todos os longos tempos de sua existência, enfrentou adversidades, guerras, fascismos, ditaduras, intolerâncias e irracionalismos – e se afirmou como espaço em que o uso crítico e autônomo da razão pudesse prevalecer.  

Por isso, a autonomia universitária é um princípio estruturante. Lastreado por ela, nos autogovernamos e elaboramos nossas leis internas, guiadas pelo bem maior da liberdade de pensamento e do compromisso ético na produção do conhecimento. 

O gozo da autonomia requer a constituição de uma verdadeira comunidade universitária, protagonista, aberta ao tempo histórico, libertária, plural e polissêmica, e vigorosa na defesa da instituição frente às ameaças (reais, como sabemos) que insistem em corroer as bases de seu futuro. 

Assim é a UFRJ: crítica, impetuosa, corajosa, coesa na unidade de ação em prol do público e da gratuidade, pulsante nos debates. 

Esse modo de ser UFRJ possibilita – e temos orgulho disso! – a condição de instituição de alta relevância científica, histórico-crítica, tecnológica, artística e cultural, visceralmente comprometida com os processos de formação na graduação e na pós-graduação. 

Celebremos, estudantes, técnicos-administrativos e docentes que forjam a comunidade universitária e afirmam, nas lutas do presente, um futuro de bem viver para os povos!  Com a confiança de que em 2018, ano em que celebraremos 50 anos das jornadas de Maio de 1968 e 100 anos da Reforma de Córdoba, a UFRJ forjará alternativas ainda mais sólidas para o futuro da educação pública, gratuita, laica e realmente universal. 

Expressamos todo o reconhecimento ao envolvimento de cada um de nossos docentes, técnicos-administrativos e estudantes. Juntos, sempre! Recebam as melhores saudações universitárias, também extensivas para as suas famílias e amigos.

Roberto Leher, Denise Nascimento e equipe Reitoria