Ministério da Justiça recebe propostas da UFRJ para aumentar segurança

Com o objetivo de aumentar a segurança no campus da Ilha do Fundão em 2018, o reitor da UFRJ, Roberto Leher, participou de audiência no dia 20/12, em Brasília, com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim. Entre as propostas debatidas, a Reitoria manifestou apoio ao contrato da Petrobras com o Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), visto que, conforme as positivas tratativas da UFRJ com a Petrobras, tal acordo seria estendido a toda a Cidade Universitária. 

O Proeis é uma medida que permite remuneração dos policiais militares em horário complementar aos seus contratos de trabalho. Os policiais que aderem ao programa atuam fardados e obedecem às normas gerais do estado. No caso da Petrobras/UFRJ, seguiriam também as orientações da política de segurança das instituições.

É importante lembrar que, em uma das reuniões da UFRJ com a Secretaria de Segurança, o próprio secretário, Roberto Sá, havia indicado o referido programa como a alternativa mais exequível para garantir efetiva cobertura de segurança em todo o campus, tendo em vista que, conforme a Secretaria, em virtude da redução das horas-extras dos policiais, a ampliação permanente do número de viaturas não seria possível. 

Também participaram da audiência o deputado federal Wadih Damous (PT/RJ), que articulou o encontro, preocupado com a situação de segurança do campus da UFRJ, e o prefeito da UFRJ, Paulo Mario Ripper. O último esclareceu como a escalada da violência tem prejudicado as atividades acadêmicas na instituição. Ripper apresentou dados estatísticos e destacou as ações que a instituição de ensino tem se empenhado em tomar para proteger estudantes, professores e pessoas que trabalham, principalmente, na Cidade Universitária.

Na reunião, o reitor manifestou preocupação com a demora no trâmite do contrato da Petrobras com a Secretaria de Segurança (Proies). Em reuniões realizadas com a Reitoria, a Petrobras tem manifestado ativo interesse em viabilizar o acordo; contudo, tais contratos possuem muitas especificidades e o processo administrativo segue moroso. 

O ministro da Justiça se comprometeu em contatar a alta direção da Petrobras para incentivar a agilização do processo. Conforme comunicação do ministro com o reitor no dia 26/12, a direção da Petrobras informou que todas as etapas administrativas internas já foram realizadas e que o processo, neste momento, encontra-se no âmbito do governo estadual. O ministro informou que já fez contato com o governador, manifestando interesse na pronta conclusão do processo. 

A conclusão do processo será um importante acontecimento para a UFRJ, visto que, com a ampliação do efetivo e, desta forma, maior presença da Polícia Militar no campus, 24 horas por dia, a expectativa é de uma forte mudança no panorama atual, em que a UFRJ sofre os efeitos da drástica queda da cobertura policial.