Nupem assina convênio com universidade norueguesa

Com informações do Núcleo de Comunicação do Nupem

Na segunda-feira, 18/6, aconteceu a cerimônia de assinatura do Convênio UFRJ–Stavenger. O evento marcou a oficialização de uma parceria pautada na cooperação científica e estudantil com a Universidade de Stavanger (UiS), da Noruega, no projeto denominado "Nor-Bra 2020: Gearing the future generations towards a sustainable use of the environment" (Nor-Bra2020: Construindo as futuras gerações por meio do uso sustentável do meio ambiente).

O principal objetivo do projeto é proporcionar um ambiente comum de aprendizagem para jovens pesquisadores (mestres e doutores) e fortalecer a parceria no ensino superior e na pesquisa entre a universidade norueguesa e a UFRJ, garantindo que os alunos tenham as habilidades e o conhecimento necessários para enfrentar os desafios futuros. Assim, consolidam-se e desenvolvem-se as colaborações educacionais e de pesquisa entre a UiS e a UFRJ no campo da tecnologia ambiental.

A proposta é avançar em pesquisas na área das ciências ambientais e tecnologia, buscando, para isso, a integração acadêmica entre Brasil e Noruega e beneficiando, dessa forma, toda a comunidade científica participante com a oportunidade da troca de experiências e saberes com colaboradores de outras nacionalidades em prol do desenvolvimento científico.

Para assinar o convênio e celebrar essa importante conquista, o Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé (Nupem/UFRJ) recebeu a presença da vice-reitora da UFRJ, Denise Nascimento, da diretora de Relações Internacionais da Universidade, Nádia Comerlato, do diretor do Nupem, Rodrigo da Fonseca, do secretário adjunto de Ensino Superior de Macaé e professor da UFRJ, Márcio Magini, da coordenadora do projeto na Noruega, Daniela M. Pampanin, da Universidade de Stavanger, e do cônsul-geral da Noruega no Rio de Janeiro, Rune Bjåstad.  

Durante a cerimônia oficial de assinatura do “Memorandum of Understanding”, os membros que compuseram a mesa agradeceram o trabalho desenvolvido pelo corpo social da UFRJ e da Universidade de Stavanger e relembraram a difícil e vitoriosa trajetória de criação e consolidação da parceria entre ambas as instituições, destacando os próximos desafios a serem vencidos e homenageando os servidores que foram fundamentais para que o acordo pudesse ser concretizado. Professores da Universidade de Stavanger, como Steinar Sanni Steinar, a decana do CCS, Maria Fernanda Quintela, e o vice-diretor do Nupem, Francisco Esteves, também foram lembrados pelo trabalho e dedicação dispensados à construção da parceira com a universidade norueguesa.  

Rodrigo Fonseca saudou os membros da mesa e agradeceu o empenho do corpo social do núcleo e da UFRJ para que a assinatura do convênio pudesse se tornar realidade. O pesquisador também destacou os aspectos positivos e transformadores representados pelo acordo, como a educação continuada, presencial e a mobilidade estudantil. Ele mencionou ainda dados educacionais noruegueses que devem servir como inspiração para o país, como o fundo de U$ 1 trilhão obtido a partir de royalties do petróleo (destinado à  educação, ciência e tecnologia) e a educação pública, gratuita e de qualidade na Noruega, que inclui quase 90% da população.  

Nádia Comerlato agradeceu o convite e relembrou o caminho percorrido para a aproximação institucional entre a UFRJ e a Universidade de Stavanger – do qual participou diretamente. Ela expressou a felicidade em presenciar a assinatura do acordo.   Márcio Magini representou o prefeito da cidade de Macaé e celebrou a realização do evento e a assinatura do convênio. Ele falou da parceria da Prefeitura Municipal de Macaé com a UFRJ ao longo de mais de uma década – por exemplo, os investimentos em bolsas de estudo e em infraestrutura no Nupem e na UFRJ de um modo geral – e comemorou o avanço no desenvolvimento do município rumo à construção da “cidade do conhecimento”.

Já Daniela Pampanin discorreu sobre a trajetória de colaboração entre as duas universidades, empresas e instituições de pesquisa, celebrando o fortalecimento e as parcerias institucionais estabelecidas. 

Bjåstad comemorou a cooperação entre Noruega e Brasil em educação e pesquisa. Segundo ele, a internacionalização nessas áreas é uma prioridade para o governo do seu país. Para o cônsul, interesses comuns entre os dois países, expressos na colaboração em educação e pesquisa, contribuirão para que os laços e as parcerias se multipliquem e se fortaleçam.

Denise Nascimento destacou o caráter gratuito, inclusivo, emancipatório e de luta das universidades públicas.  A vice-reitora comentou sobre o papel essencial do Nupem e do professor Francisco Esteves para que a interiorização da UFRJ pudesse se tornar realidade e  viesse a ser uma referência consolidada em ensino, pesquisa e extensão. Nascimento mencionou ainda a posição da UFRJ: segundo lugar no ranking das melhores universidades do país. Para ela, apesar do contingenciamento em seu orçamento anual, a UFRJ se mantém sólida e resistente, conservando a excelência na geração de conhecimento e na formação de recursos humanos para o Brasil.  

Curso

Um curso de uma semana no Nupem desenvolverá o tema “Biodiversity: Giving value to the sustainable use of the environment”. Para a aula inaugural, proferida antes da assinatura do acordo, o professor Fabio Scarano preparou a apresentação “The Emergence of Sustainability: From Renaissance to plausible futures", abordando assuntos relacionados à ciência da sustentabilidade e à conservação da biodiversidade.  

De 18 a 23/6, estudantes brasileiros e noruegueses terão aulas em inglês sobre biodiversidade, economia verde e impacto socioambiental da cadeia do petróleo. Além de aprofundarem seus conhecimentos teóricos, os alunos da Universidade de Stavanger terão a oportunidade de pesquisar nos laboratórios da UFRJ e fazer visitas a campo. Estão programadas saídas para a Ilha do Francês, Parque Atalaia e Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba.