Instituto de Psiquiatria completa 80 anos

Na sexta-feira, 3/8, o Instituo de Psiquiatria (Ipub) da Universidade Federal do Rio de Janeiro  comemorou seus 80 anos de ensino, pesquisa, atendimento e transformação no campo da saúde mental. A cerimônia, no auditório Leme Lopes, contou com a presença de servidores, familiares, pacientes e diversas autoridades do setor de saúde. Conforme tradição da unidade, servidores que se aposentaram no último ano receberam da direção um certificado de agradecimento pelo trabalho.

Uma homenagem especial foi feita a todos os diretores que conduziram o Ipub nesses 80 anos. Foi exibido um vídeo contando a trajetória do instituto e as realizações de cada gestor.  Os parentes lá presentes também receberam flores. Em seguida, houve a presentação de um dueto de piano e flauta, no qual um dos executantes é musicoterapeuta da unidade.

Convidado a proferir palestra, o reitor da UFRJ, Roberto Leher, discorreu sobre a atual conjuntura política do país, os desafios que se põem diante da Universidade e a importância do Ipub na construção de um novo conceito de saúde, mais profundo na condição humana.

O reitor citou as diversas frentes de pesquisa e o papel de pioneirismo que o instituto tem na ciência. “Nós temos no Ipub uma postura epistemológica extremamente inspiradora. São perspectivas incompatíveis com determinismos fechados, com estereótipos”, afirmou Leher. “Todas as discussões que vem sendo desenvolvidas aqui só poderiam, de fato, ser feitas dentro uma universidade pública. Em nenhuma outra instituição essa vitalidade acadêmica seria possível. Não por incompetência ou falta de condições, mas pela natureza dessas questões que colocamos. Porque precisamos de um espaço de liberdade acadêmica ilimitada.”

Nova diretoria

Na ocasião também aconteceu a cerimônia de posse da nova diretoria do instituto. A professora Maria Tavares Cavalcanti encerrou sua segunda gestão consecutiva agradecendo o apoio dos componentes da equipe e o contato com os estudantes.

O novo diretor do Ipub, Jorge Avelino da Silva, recordou o desenvolvimento da ciência psiquiátrica e criticou abusos na profissão. Ele afirmou que o Ipub continuará o trabalho que desenvolve há 80 anos com pesquisa, ensino e atendimento, ajudando a desenvolver os centros de atendimento psicossocial, sem deixar de dar atenção aos leitos psiquiátricos. A respeito de um possível embate entre as duas perspectivas, Silva ponderou citando Descartes:  “Não há nada no mundo mais bem repartida do que a razão. Toda gente está convencida de que a tem de sobra.”