UFRJ se reúne com parlamentares em busca de apoio ao Museu Nacional

Foto: Raphael Pizzino | Coordcom/UFRJ

Após o incêndio de grandes proporções que atingiu o Museu Nacional, o reitor da UFRJ, Roberto Leher, participou, na tarde desta terça-feira (4/9), de uma reunião com a bancada federal parlamentar do estado do Rio de Janeiro, a fim de buscar apoio da sociedade política para a recuperação e a reconstrução do Museu. O objetivo é conquistar apoio na forma de emendas parlamentares e de propostas na Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019.

Para o reitor, essa é uma reunião importante para a UFRJ e para o Museu Nacional porque a tragédia requer ações objetivas e rápidas para que possam ser dadas respostas realistas. “Nós sabemos que cada parlamentar que está engajado, mobilizado e envolvido com essa causa generosa é o que fará a diferença”, concluiu Leher.

 

Primeira reunião

Na segunda-feira (3/9), autoridades reuniram-se no Horto Botânico, na Quinta da Boa Vista, a fim de definir ações para reconstruir a edificação e o acervo do Museu Nacional. Participaram da reunião a Reitoria da UFRJ, a Direção do Museu Nacional, o ministro da Educação, o ministro da Cultura e representantes do Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior (Difes), do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da Polícia Federal (PF).

Entre as ações definidas, está a constituição de um comitê gestor de caráter operativo para a reconstrução do Museu, composto pela UFRJ, Museu Nacional, Ministério da Educação (MEC), Ministério da Cultura, Iphan, Ministério do Planejamento e Casa Civil.

A UFRJ destacou que a manutenção das equipes do Museu Nacional em seus espaços é um objetivo central e estratégico. Para isso, demandou a utilização de área contígua para a instalação de módulos a serem comprados pelo MEC, destinados às atividades acadêmicas e administrativas. Os ministros comprometeram-se a levar a reivindicação à Presidência da República.

Também foi instaurada sindicância para apurar o contexto do incêndio, designando uma equipe especificamente para essa perícia e análise. O comando da perícia está a cargo do delegado Carlos Henrique, da PF, enquanto a segurança no entorno do Museu será feita pela Polícia Militar e Guarda Civil.

Etapas

A reconstrução do Museu Nacional seguirá as seguintes etapas de trabalho:

- reforço estrutural das fachadas, sobrecobertura, contêineres para reserva técnica e cercamento, por tapume, da edificação, ficando a UFRJ responsável pelo encaminhamento. Os recursos para a intervenção, na ordem de R$ 10 milhões, foram assegurados pelo MEC;

- elaboração de termo de referência, projeto básico e projeto executivo da reconstrução. A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) ficou responsável pela contratação, e o MEC, pelo custeio, avaliado preliminarmente em R$ 5 milhões;

- mobilização, pela Presidência da República, da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e outros grandes grupos econômicos para captar recursos por meio da Lei Rouanet. Além disso, serão combinados recursos orçamentários estruturais e extraorçamentários;

- desenvolvimento de ações nacionais e internacionais para incentivar doações qualificadas de acervos;

- planejamento da política de uso do espaço museal reconstruído, visando à reabertura do Museu Nacional. Será realizado um termo de referência para que os custos possam ser dimensionados a fim de compor o plano de trabalho do comitê gestor.