'E se a universidade pública não existisse?'

“Como a universidade pública impacta na sociedade? E na sua cidade e região? E se ela não existisse?”. São essas as perguntas que a Associação Nacional de Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) faz, já na abertura do vídeo-campanha lançado na sexta (8/2). O objetivo da peça audiovisual é reforçar a importância das universidades federais na cena brasileira.

A produção sublinha a transformação que as instituições promovem na vida de milhares de pessoas no Brasil, jogando luz sobre sua relevância social, e questiona, nesse enredo, o que as universidades públicas significam, de fato, para o país. Para referendar a ideia, o vídeo conta com mais de dez depoimentos de pessoas que foram ou são beneficiadas de alguma forma por uma universidade federal.

O empreendedor Jorge Rezende é uma dessas pessoas. “Ela [a universidade] me atende em todas as necessidades que eu preciso como empreendedor. Eu preciso de orientações administrativas, a universidade tem. Eu preciso de orientações na parte de legalização de um alimento, a universidade tem. E isso me completa porque aí fora não se encontram tantas oportunidades de um empreendedor ter essa gama de tecnologias (...)”, afirma.

A qualidade que as universidades federais têm ainda gera dúvidas sobre a sua gratuidade. É o que compartilhou, no vídeo, a professora da rede pública Solange Aparecida Rosa. “Eu lembro que, quando eu passei no vestibular, eu fiquei tão feliz, que disse a todas as pessoas que moravam onde eu morava (...): ‘Olha, vai! Eu consegui, então você consegue também, vai lá’, aí as pessoas perguntavam: ‘Puxa, mas lá? Eu posso ir? Não tenho que pagar?’”, lembra.

Este é o segundo vídeo produzido pela Andifes com foco em enfatizar a relevância das universidades federais para o Brasil. 

Clique para ver o vídeo na íntegra, na webTV UFRJ

Assista ao primeiro.