Professor da UFRJ vence Prêmio Faz Diferença, do jornal O Globo

Paulo Buckup
Professor Paulo Buckup. Foto: Acervo MN/UFRJ

Paulo Buckup venceu na categoria País

O professor Paulo Buckup, do Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (MN/UFRJ), foi o vencedor do Prêmio Faz Diferença, do jornal O Globo, na categoria País.

Assim que ficou sabendo que um dos maiores museus de história natural e de antropologia das Américas estava em chamas no dia 2/9/2018, Buckup não mediu esforços para chegar rapidamente à Quinta da Boa Vista. Lá, tentou orientar os bombeiros para que interceptassem o fogo, porque não havia água nos hidrantes nem instrumento apropriado para abater as chamas.

Quando se deu conta de que eles não tinham como atuar, fez o improvável: o pesquisador da sistemática de peixes neotropicais, de 59 anos, sendo 24 deles dedicados à mais antiga instituição científica do Brasil, reuniu cerca de 40 voluntários, arrombou portas e enfrentou as labaredas para salvar o que fosse possível.

Para Buckup, sua vitória não revela um ato heroico. Na verdade, aponta para a importância do Museu Nacional e seu protagonismo nas ciências brasileira e americana.

Na categoria País, ainda concorreram com Buckup o empresário Eduardo Mufarej e o Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos.

Prêmio Faz Diferença
O Prêmio Faz Diferença, do jornal O Globo, é organizado em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). A condecoração reconhece o trabalho, a dedicação e o talento de brasileiros, que, nas mais diversas áreas de atuação, serviram de inspiração para o país e o mundo.

Os vencedores das 16 categorias foram escolhidos pelos votos de jornalistas do jornal O Globo, de dirigentes da Firjan, dos ganhadores da edição do ano anterior, além do público.

As personalidades vencedoras foram conhecidas no dia 16/2 e a cerimônia de premiação acontecerá em março.

Paulo Buckup
O professor Paulo Buckup é graduado em Ciências Biológicas - Zoologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mestre em Oceanografia Biológica pela Universidade Federal do Rio Grande (Furg), mestre em Biologia pela Universidade de Michigan e doutor em Ciências Biológicas, também pela Universidade de Michigan. Atuou como pós-doutor no Field Museum of Natural History, em Chicago, e na Academy of Natural Sciences of Philadelphia. Foi presidente e membro do Conselho Deliberativo da Sociedade Brasileira de Ictiologia (SBI). Hoje, é professor do Departamento de Vertebrados do MN/UFRJ, atuando como pesquisador e orientador na área de Zoologia, com ênfase em taxonomia dos grupos recentes e diversidade molecular de peixes, atuando principalmente nos seguintes temas: peixes, sistemática, characiformes, biogeografia, ictiofauna e biodiversidade molecular.