Vacina da febre amarela pode combater vírus da zika

Imagem: Pixabay

Com informações do Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ 

Uma parceria entre pesquisadores da UFRJ e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) identificou que a vacina da febre amarela pode prevenir contra o vírus da zika. A pesquisa, que contou com a participação de membros do Instituto de Bioquímica Médica (IBqM) e do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), pode garantir a produção de uma vacina mais eficiente e acessível contra a doença.

A partir da análise dos casos de zika nos últimos anos, o grupo — coordenado pelos professores Jerson Lima Silva, Andrea Cheble Oliveira e Andre Gomes, do IBqM, e pelo professor Herbert Guedes, do IBCCF —  descobriu que o número de notificações da doença sofreu uma queda vertiginosa após a ampliação da vacinação contra a febre amarela, em 2017. A imunização é possível por meio de um processo chamado “proteção cruzada”. Nesse mecanismo, um agente infeccioso presente na vacina leva ao desenvolvimento de resposta imune contra outro patógeno. Segundo os pesquisadores, ambos os vírus pertencem ao mesmo grupo — os flavivírus — e suas estruturas biológicas são muito similares.

A partir desses dados, a pesquisa avançou para a fase de testes em animais, visando comprovar a eficácia da vacinação. Foram utilizados camundongos de diferentes linhagens e estados de saúde, divididos em dois grupos. O primeiro recebeu a vacina e foi infectado com o vírus, enquanto o segundo recebeu apenas o patógeno. A resposta coletada a partir da experiência foi muito animadora: os animais desenvolveram um alto grau de proteção contra a infecção, tanto nos indivíduos saudáveis quanto naqueles com problemas no sistema imunológico. Os pesquisadores agora trabalham para compreender melhor como funcionam os mecanismos de proteção contra o vírus da zika desenvolvidos a partir da vacina da febre amarela.

A pesquisa é de extrema relevância, pois aponta uma saída mais simples, eficiente e barata para a prevenção da doença. A adoção da vacina contra a febre amarela apresenta vantagens por já ter sido licenciada e comercializada mundialmente. Em caso de um novo surto de infecções, essa vacina pode rapidamente ser distribuída e aplicada na população. Além disso, uma única dose é suficiente para imunizar pela vida toda, protegendo contra dois patógenos de uma só vez.

Para ler o estudo, disponível apenas em inglês, clique aqui.