Presidente da Capes visita a UFRJ

Anderson Correia

O presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Anderson Ribeiro Correia, visitou a UFRJ no dia 11/4. Ele conferiu uma palestra no Centro de Ciências da Saúde (CCS) para representantes dos programas de pós-graduação da Universidade, mediado pela pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, Leila Rodrigues da Silva. 

No encontro, Correia exibiu os dados que a Capes dispõe sobre a UFRJ e respondeu a perguntas da comunidade universitária. Participaram o reitor Roberto Leher e a vice-reitora, Denise Nascimento. 

UFRJ é a universidade mais internacionalizada do país

Segundo Anderson Correia, a UFRJ é a universidade com maior internacionalização da pós-graduação no Brasil, com 41 programas de notas 6 e 7 (sendo essa a maior nota possível). Ele elogiou a participação da Universidade no Capes-PrInt, programa responsável por projetos da área. “A UFRJ está de parabéns pela competência”, avaliou, destacando que a Universidade recebe um dos maiores orçamentos do país para iniciativas do tipo.

Produção científica

Os dados disponibilizados pela Capes mostraram que nos últimos 30 anos a UFRJ multiplicou por 20 o número de publicações científicas. Bioquímica, Física, Neurociência e Astronomia são as áreas de maior destaque. Brasil, EUA, França Inglaterra e Alemanha são os países com os quais a Universidade mais coopera.   

Orçamento 

“Nosso orçamento está mantido, mas temos que trabalhar para buscar recursos adicionais para elevar os valores das bolsas. Se o Congresso elevar o valor do orçamento da Capes, nós vamos elevar o valor das bolsas”, respondeu sobre investimentos. “Depende do Congresso pra isso, ou do Ministério da Educação, afirmou. “Diretamente na Capes não temos essa capacidade hoje”. 

Questionado sobre a baixa presença das Ciências Humanas nos índices apresentados, ele afirmou que não tiraria o orçamento de Humanas para passar para Exatas, e que um conselho com mais de 20 pessoas indicadas pela sociedade é que define o orçamento da fundação. Recursos são “uma questão que transcende a Capes”, completou.  

Correia também disse que trabalham “em diversas métricas para medir” a produção em humanidades.

Leila Rodrigues da Silva destacou como a UFRJ tem se empenhado para qualificar os programas de pós-graduação e reforçou a importância dos conselhos da Universidade para esse trabalho. “No detalhe, conhece a instituição”, disse sobre os dados apresentados pelo presidente da Capes e o convidou a retornar para outros debates.  

fotos: Jean Souza - Coordcom/UFRJ