Governo Federal corta 65 bolsas de pós-graduação da UFRJ

A UFRJ identificou nesta quinta-feira (9/5) o corte de 65 bolsas de pós-graduação pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal (Capes), do Ministério da Educação. Foram 33 bolsas de mestrado, 22 de doutorado e 10 de pós-doutorado, dentro dos programas Demanda Social (DS) e Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD). A Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PR-2) ainda avalia a situação das bolsas do Programa de Excelência Acadêmica (Proex). 

Os programas que sofreram cortes possuem notas de 3 a 5 na Capes, cuja nota máxima de avaliação é 7. Estas bolsas estavam reservadas, por exemplo, para pós-graduandos em processo de seleção. Quando um estudante conclui o mestrado, a bolsa fica disponível para os próximos da fila. O corte ocorreu nesse intervalo. 

Relação das bolsas DS

Relação das bolsas PNPD

“Há uma ruptura de expectativa do pesquisador que se preparou para entrar no mestrado ou doutorado e que vislumbrava algum suporte para realizar a pesquisa”, avaliou a pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da UFRJ, Leila Rodrigues da Silva. “Afinal, não é um projeto pessoal, é institucional, visando o bem-estar da sociedade”, concluiu. 

O Conselho Universitário (Consuni) da UFRJ divulgou na tarde de hoje uma moção contra os cortes. Confira a íntegra do texto:  O Consuni manifesta sua contrariedade em relação aos cortes e bloqueios de recursos promovidos pelo governo federal. Tais ações têm causado intranquilidade à comunidade acadêmica, que teme que os avanços alcançados nos últimos anos pelo Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia sejam comprometidos, colocando em risco todo o patrimônio científico arduamente construído por gerações de pesquisadores em prol de toda a sociedade. Como parte do conjunto de medidas que têm reduzido os recursos destinados à Educação e à Ciência, ontem, dia 08 de maio de 2019, em ofício enviado pela Capes (nº 1/2019-GAB/PR/CAPES), fomos oficialmente informados que tal agência teria decidido “recolher” bolsas dos programas de Demanda Social (DS) e Programa Nacional de Pós-Doutoramento (PROAP), dentre outros. 

Considerando o papel central que tais bolsas ocupam para a pesquisa e para a formação de recursos humanos e certos de que a Capes se manterá comprometida com suas atribuições de promoção da ciência e tecnologia em nosso país, seguiremos na busca de entendimento com esta agência no sentido de que reveja sua decisão.  

foto: Marco Fernandes - UFRJ