UFRJ lança programa Rio+Seguro Fundão

Foto: Diogo Vasconcellos (Coordcom/UFRJ)

A UFRJ inaugurou, na sexta-feira (7/6), a iniciativa Rio+Seguro, fruto de parceria entre a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) e a Prefeitura Universitária. A assinatura do convênio dará início à ação, que prevê reforço de 23 agentes por dia, entre policiais militares e guardas municipais (GMs), divididos em turnos, para o patrulhamento das vias da ilha do Fundão.

Roberto Leher, reitor da Universidade, declarou que, para fazer ciência, é preciso de segurança no espaço universitário e lembrou alguns casos de violência no Fundão, como a morte do estudante Diego Vieira Machado. “Este é um projeto da UFRJ, da cidade e do estado do Rio de Janeiro, que forja novas ideias, conceitos e perspectivas para a segurança pública”, ressaltou Leher, parabenizando os esforços conjuntos dos setores envolvidos.

Segundo Paulo Amêndola, secretário da Seop, o programa traz um diferencial para a segurança do campus. “Reconheço um esforço conjunto de parceria, entre o reitor e os prefeitos. Parabenizo a UFRJ por essa integração.” Já o prefeito universitário, Paulo Mário Ripper, afirmou que o campus tem cerca de 5 milhões de metros quadrados e uma circulação diária de 100 mil pessoas. “Trata-se da maior universidade federal do país e este apoio responde à importância desta instituição.”

A vice-reitora da UFRJ, Denise Nascimento, reforçou que ainda há muito o que fazer e que é importante aperfeiçoar os registros das ocorrências. “Muitas das vezes fica registrado apenas como roubo de veículos, não mostrando todos os tipos de violência.”

Segurança já em prática

As equipes, que já circulam pelas vias da Cidade Universitária, serão identificadas por coletes e contarão com três viaturas e quatro motocicletas. O campus foi dividido em três setores, conforme levantamento prévio realizado pelos coordenadores do programa, que terão rondas de segunda a sexta-feira, das 6h à meia-noite, e aos sábados, das 6h às 18h, períodos de maior movimento de público na Universidade.

Assim como na Zona Sul, o programa contará com emprego de tecnologia e inteligência em suas ações. É prevista a integração de 288 câmeras utilizadas no monitoramento do campus do Centro de Controle Operacional (CCO) da Prefeitura da UFRJ com o Centro de Operações Rio (COR) e um canal direto de comunicação entre a comunidade e os agentes por meio de um número exclusivo de WhatsApp (99088-0088).

Programa Rio+Seguro

A Cidade Universitária será a segunda área a receber o programa pioneiro. Implantado em 2017 nos bairros de Copacabana e no Leme, o Rio+Seguro utiliza reforço diário de policiais militares (contratados durante a folga) e guardas municipais em ações de patrulhamento urbano, além de promover a integração com outros órgãos municipais e estaduais para a resolução de problemas de ordenamento.

Diferentemente da operação em Copacabana e no Leme − que também contempla o Parque Garota de Ipanema, no Arpoador −, em que a Prefeitura arca com o pagamento de PMs por meio do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), o Rio+Seguro Fundão será custeado pela UFRJ com investimento de mais de R$ 2 milhões por ano.