Nota sobre artigo de Elio Gaspari acerca do VivaUFRJ

Canecão
foto: ETU/UFRJ

Em relação à nota O Tesouro da UFRJ, da coluna de Elio Gaspari de 21/7, a UFRJ esclarece que somente terrenos sem uso acadêmico – atual ou previsto no Plano Diretor da Universidade – estão sendo avaliados para possível cessão à iniciativa privada, por um período de até 50 anos, no âmbito do projeto VivaUFRJ. Logo, as atividades acadêmicas não serão prejudicadas de nenhuma forma e não haverá venda de terrenos.

Ademais, não há vocação imobiliária definida para os terrenos. Os estudos técnicos estão avaliando possíveis usos visando estimar o retorno econômico-financeiro das áreas a serem cedidas. Porém, caberá ao futuro cessionário tomar essas decisões, tendo em conta a legislação e as demais restrições que vierem a ser incluídas por decisão da UFRJ no edital de concorrência. 

Essas informações estão em “perguntas e respostas” sobre o projeto, disponível aqui.

Nadine Borges
Diretora executiva do VivaUFRJ
22/7/2019