UFRJ manifesta apoio ao Inpe

Entrada do Inpe
foto: Divulgação/Inpe

Na quinta-feira, 25/7, o Conselho Universitário (Consuni), órgão máximo da UFRJ, publicou moção de apoio ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), acusado pelo governo federal de produzir relatórios científicos falsos ou enviesados.

Leia a manifestação na íntegra:

O Conselho Universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro, reunido em sessão de 25 de julho de 2019, manifesta o seu apoio ao Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Ricardo Galvão, e ao seu corpo técnico, acusados pelo Governo Federal de produzirem relatórios científicos falsos ou enviesados acerca do desmatamento que a Floresta Amazônica sofreu nos últimos meses.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais destaca-se no uso de dados de sensoriamento remoto para a medição de condições climáticas e ambientais no país. Em particular ainda nos anos 1990, o INPE iniciou o projeto de Avaliação da Cobertura Florestal na Amazônia Legal, que deu origem ao Projeto Desflorestamento da Amazônia Legal (PRODES), criado no âmbito do Programa de Monitoramento da Amazônia (AMZ). O programa PRODES oferece estimativas anuais para a taxa de desmatamento na Amazônia Legal brasileira e é hoje a fonte primária de informações para as decisões do governo federal quanto às políticas de combate ao desmatamento na Amazônia. Tanto as imagens de satélites usadas pelo INPE, quanto sua metodologia são públicas e reconhecidas por seus pares. O desprezo a esses órgãos e dados, capitaneado pelo próprio presidente da república, não contribui para o fortalecimento de uma nação independente e produtiva, promovendo um clima de antagonismo virulento que está corroendo as bases da sociedade brasileira.

Profª Denise Pires de Carvalho
Reitora