Conta de luz fica mais cara em agosto

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou, no dia 26/7, que as tarifas da conta de luz em agosto já serão calculadas a partir da bandeira vermelha, patamar 1. Isso significa que a cada 100 quilowatts-hora consumidos será cobrado o valor de R$ 4,00. Em julho, a bandeira tarifária foi amarela, custando cerca de três vezes menos.

A mudança ocorre nos períodos secos do ano, quando os reservatórios de água do país estão em baixa e a produção das termelétricas é acionada. Para calcular como deve ser o repasse da conta de luz ao consumidor final, a Aneel se baseia em duas variáveis: o risco hidrológico (GSF, do inglês Generation Scaling Factor) e o preço da energia no mercado de curto prazo (o chamado PLD, Preço de Liquidação das Diferenças).

Economize

Com o início do segundo semestre letivo, a UFRJ orienta sua comunidade a evitar o desperdício. Lâmpadas devem ser desligadas quando a luz natural for predominante ou os ambientes forem desocupados. O uso da energia precisa ser repensado, sobretudo entre 17h30 e 20h30, intervalo de pico do consumo e, portanto, de tarifação mais alta. Quanto ao ar-condicionado, a recomendação é de que os aparelhos sejam desligados em dias amenos ou mantidos com temperatura a 25°C.

Bandeiras

O Sistema de Bandeiras Tarifárias existe desde 2015 e simula as cores de um semáforo. Além da bandeira vermelha, que tem dois patamares (valendo R$ 5,00 e R$ 4,00), a correção das tarifas também pode ser representada pelas bandeiras amarela (R$ 1,50) e verde (R$ 1,00). Os custos são aplicados a cada 100 quilowatts-hora consumidos. 

Quer entender melhor como esse sistema funciona? Assista ao vídeo produzido pela Aneel, disponível no YouTube.