Fórum de Ciência e Cultura entrevista Alexander Kellner

Imagem: Fórum de Ciência e Cultura (FCC)

O Fórum de Ciência e Cultura (FCC) da UFRJ vem produzindo semanalmente a série de entrevistas Por dentro do FCC. A ideia é apresentar a unidade e seus órgãos suplementares, convidando gestores para falarem sobre suas expectativas e seus planos para os próximos quatro anos. Constituem o FCC o Museu Nacional, a Editora UFRJ, o Sistema de Bibliotecas e Informação da UFRJ (SiBI), a Casa da Ciência, o Colégio Brasileiro de Altos Estudos (CBAE), a Universidade da Cidadania, o Núcleo de Rádio e TV e o Sistema de Museus, Acervos e Patrimônio (Simap).

As entrevistas são veiculadas no formato vídeo e texto, nos canais oficiais da instituição. A produção é de Bruna Rodrigues e Victor Terra; a reportagem, de Ana Claudia Souza; a fotografia, de Eneraldo Carneiro; e a produção audiovisual, de Tuker Marçal e Yuri Aby Haçan. O terceiro entrevistado da série é Alexander Kellner, diretor do Museu Nacional (MN). A seguir, confira os principais trechos.

“Com a ajuda da sociedade, vamos reconstruir o Museu Nacional"

O professor Alexander Kellner assumiu a direção do MN em fevereiro de 2018, sete meses antes do incêndio que atingiu o Palácio Imperial de São Cristóvão, na Quinta da Boa Vista, onde estava grande parte do acervo do Museu. Um ano depois do episódio, Kellner está confiante na recuperação da instituição – que depende de uma articulação nacional e internacional, de doações de pessoas físicas, instituições privadas e do governo federal.

“Precisamos de ajuda de vários atores: do Ministério da Educação, porque sem o MEC nós não vamos ter um novo Museu Nacional; da UFRJ, à qual nós pertencemos e está imbuída da responsabilidade da reconstrução do Museu; de várias instituições brasileiras que já estão nos ajudando com doações de material; do Ibram (Instituto Brasileiro de Museus), um parceiro muito grande que nos ajuda em vários aspectos; do Iphan, porque o prédio é tombado – e, mesmo que o interior agora tenha uma situação diferente, a fachada continua sendo de um prédio tombado. Nós esperamos que esses atores todos se unam, juntamente com colegas de instituições internacionais, e que a gente reabra pelo menos a primeira sala em 2022, ano da Independência do nosso país”, avalia.   Na entrevista, o diretor do MN explica também a mudança pela qual o Museu Nacional passará, dentro do organograma da UFRJ: deixará de ser vinculado ao Fórum de Ciência e Cultura e passará a responder diretamente à Reitoria. “Estamos iniciando os nossos estudos e tem toda uma parte legal para ser feita. Mas o mais importante é que o Fórum de Ciência e Cultura compreende e concorda com essa mudança e nos apoia integralmente”.

A íntegra da entrevista está disponível no site do FCC e no YouTube.

Confira as edições anteriores da série:

[Por Dentro do FCC] #1 Fórum de Ciência e Cultura, com Tatiana Roque

[Por Dentro do FCC] #2 Superintendência de Difusão Cultural, com Adriana Schneider