UFRJ se mantém entre as melhores universidades do mundo


Foto: Diogo Vasconcellos (Coordcom/UFRJ)

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) continua entre as melhores instituições de ensino superior do mundo. Os dados são do World University Rankings 2020, da revista britânica Times Higher Education (THE). A classificação, que avaliou 1.396 universidades de 92 países, levou em consideração aspectos relacionados a ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectivas internacionais.

A UFRJ é a décima instituição brasileira mais bem posicionada no ranking. Quem lidera a lista é a Universidade de São Paulo (USP). Na edição anterior do estudo, a UFRJ ocupava a quarta colocação. No cenário internacional, saiu do grupo das 601-800 melhores para 801-1000.

 

UFRJ avançou em quatro critérios de cinco

Dos cinco critérios avaliados, a Universidade teve crescimento em quatro. O quesito que apresentou maior nota foi o de citação, que analisa a influência das pesquisas da Universidade e o seu papel na disseminação de novos conhecimentos. No ranking anterior, a nota era 23.6, passando, neste ano, para 26.1.

No indicador ensino, que considera reputação, proporção entre funcionários e alunos, além do número de docentes com doutorado, a nota foi de 33.4 para 34.4. Já o indicador pesquisa, que avalia volume, renda e produtividade, aumentou de 21.4 para 22.0, enquanto o critério que avalia a capacidade que a instituição tem de ajudar a indústria com inovações subiu para 35.5 (antes era 35.2).

Apesar disso, em comparação com a edição anterior, a Universidade perdeu algumas posições na classificação geral. O quesito perspectivas internacionais, que analisa o potencial das universidades de atrair estudantes de todo o mundo, caiu de 29.0 para 28.7.

 

A UFRJ

Maior universidade federal do Brasil, a UFRJ é a primeira instituição oficial de ensino superior do país, com atividade desde 1792 e organizada como universidade em 1920. Presença registrada nas 15 melhores posições dos mais diversos rankings acadêmicos na América Latina, a instituição conta, hoje, com 176 cursos de graduação, 130 de mestrado e 94 de doutorado. Segundo o Ranking Universitário Folha 2018, a UFRJ é a universidade mais inovadora do país, o que também se deve à sua pluralidade: seu corpo social é composto por mais de 67 mil estudantes, 4 mil docentes e 9 mil servidores técnico-administrativos.

A Universidade tem estrutura similar à de um município de médio porte, compatível com o seu grau de relevância estratégica para o desenvolvimento do país. Formou uma sucessão de ex-alunos notáveis, como o indicado ao Prêmio Nobel da Paz, Osvaldo Aranha; os escritores Jorge Amado e Clarice Lispector; o arquiteto Oscar Niemeyer; os médicos Oswaldo Cruz e Carlos Chagas; os jornalistas Fátima Bernardes e Ali Kamel e o matemático Artur Ávila, primeiro latino-americano a receber a Medalha Fields, prêmio oferecido a matemáticos com até 40 anos e considerado equivalente ao Prêmio Nobel.

Quarta instituição que mais produz ciência no Brasil, a UFRJ possui dois campi fora da capital fluminense: um em Macaé e outro em Duque de Caxias. Com projetos de ponta nas áreas científica e cultural, a antiga Universidade do Brasil tem sob seu escopo nove hospitais universitários, 13 museus, 1.274 laboratórios, 45 bibliotecas e um Parque Tecnológico de 350 mil metros quadrados, com startups e empresas de protagonismo nacional e internacional.