UFRJ é a melhor universidade federal do país, aponta ranking da Folha

Bandeira da UFRJ
Bandeira da UFRJ - foto: Marco Fernandes (Panorama UFRJ)

A UFRJ permanece no topo da lista das melhores universidades do Brasil. Segundo o Ranking Universitário Folha (RUF) 2019, divulgado nesta segunda-feira, 7/10, a UFRJ é a terceira melhor do país, atrás apenas da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que ficaram com 98,02 e 97,09 pontos, respectivamente, enquanto a Federal do Rio se classificou com 97 pontos, com apenas 0,09 ponto a menos que a segunda colocada.

O RUF 2019 avaliou 197 universidades brasileiras e usa dados nacionais e internacionais, além de duas pesquisas de opinião do Datafolha, considerando cinco critérios: pesquisa (42% do total), ensino (32%), mercado (18%), internacionalização (4%) e inovação (4%). A UFRJ caiu uma posição, em comparação com o ano passado, mas segue na liderança do ranking em inovação, além de ser a melhor entre as federais.

 

UFRJ em pesquisa, ensino, mercado, internacionalização e inovação

Em pesquisa, nove componentes são avaliados: total de publicações, total de citações, citações por publicação, publicações por docente, citações por professor, publicações em revistas nacionais, recursos recebidos por instituição, bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e teses. Neste quesito, a UFRJ figurou na quinta posição, com 40,54 pontos. Em primeiro lugar, ficou a USP, com 41,63 pontos.

Em ensino, quatro critérios são observados: opinião de docentes do ensino superior (pesquisa Datafolha), professores com doutorado e mestrado, professores em dedicação integral e parcial, além da nota no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Neste item, a Federal do Rio conquistou o quarto lugar, empatada com a USP, com 31,10 pontos. A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) liderou a lista, com 31,47 pontos.

No quesito mercado, o RUF 2019 considera a opinião de empregadores sobre preferências de contratação. A UFRJ figurou na quarta posição, empatada com a Universidade Presbiteriana Mackenzie, com 17,72 pontos. A USP encabeça a lista, com 18 pontos.

Em internacionalização, dois critérios são analisados: citações internacionais por docente e publicações em coautoria internacional. A UFRJ também ficou na quarta posição, com 3,78 pontos, enquanto a Fundação Universidade Federal do ABC (UFABC) conduz a classificação, com 3,91 pontos.


Rotina no Ladetec/UFRJ - foto: Raphael Pizzino (Panorama UFRJ)

Já em inovação, a UFRJ lidera o ranking pelo segundo ano consecutivo, desta vez com 3,86 pontos. São observados o número de patentes pedidas pela instituição e a quantidade de estudos da universidade em parceria com o setor produtivo. Para a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Denise Freire, o resultado que posiciona a UFRJ em lugar de destaque neste critério tem motivo.

“A história da inovação na UFRJ confunde-se com a própria história da Universidade. Atualmente, contamos com um Parque Tecnológico – referenciado como um dos melhores do mundo –, uma incubadora de empresas, uma incubadora tecnológica de cooperativas populares, uma agência de inovação (Núcleo de Inovação Tecnológica e Social) e diversas outras microestruturas, tais como os laboratórios de pesquisa e as atividades de fomento à inovação e ao empreendedorismo hospedadas nas unidades acadêmicas e que possuem efetiva interação com o mercado e a sociedade. Essas ações refletem os elevados índices obtidos no ranking de inovação”, afirma a pró-reitora, que adianta que a Universidade seguirá na busca por aperfeiçoamento na área: “A UFRJ constituiu um comitê de inovação, com professores e funcionários especialistas nessa área, oriundos de diferentes campos do saber, com o propósito de construir a política de inovação da UFRJ em conformidade com o Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação. Iremos fomentar e organizar atividades de inovação e empreendedorismo e estimular a criação de novas estruturas dentro do ecossistema, assim como dar suporte técnico-científico às decisões da Agência de Inovação”, completa.

 

Protagonismo no ensino superior brasileiro

A reitora da UFRJ, Denise Carvalho, também comemorou o resultado: “A UFRJ continua entre as melhores instituições de ensino superior do país. Somos a instituição mais inovadora, o que muito nos orgulha. A UFRJ atua com excelência na transformação da sociedade brasileira, rompendo barreiras e contribuindo para diminuir a desigualdade social”, afirma. Denise, porém, destaca a vontade do aperfeiçoamento de desempenho no ranking: “Precisamos melhorar na área de ensino, pesquisa e internacionalização para retornarmos ao primeiro lugar. Vamos avançar!”, conclui.