Reitoria conversa com comunidade da Praia Vermelha sobre VivaUFRJ


foto: Ana Marina Coutinho (Coordcom/UFRJ)

Na tarde de terça-feira (29/10), o reitor em exercício, Carlos Frederico Rocha, esteve no Instituto de Economia (IE) para uma conversa com servidores, estudantes e vizinhos do campus Praia Vermelha. O encontro foi promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFRJ (Sintufrj), com o objetivo de conhecer e discutir o projeto VivaUFRJ, desenvolvido em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES).

Estiveram presentes na sessão Nadine Borges, diretora executiva do VivaUFRJ; João Carlos Ferraz, professor do IE e assistente da Direção; e a equipe do BNDES. Integrantes da Casa da Ciência, do Instituto de Psiquiatria (Ipub), da Escola de Serviço Social (ESS) e de outras unidades da UFRJ, além de moradores do entorno, também participaram, formulando questões e tecendo comentários.

O projeto visa obter recursos adicionais ao orçamento público para investir em infraestrutura, buscando seguir recomendações do Tribunal de Contas da União (TCU). Com isso, prevê recursos próprios a fim de garantir e ampliar, sobretudo, a política de assistência estudantil. A UFRJ possui, atualmente, 52,6 mil estudantes de graduação: 29% moradores de outros municípios, 15% oriundos de outros estados, 30% com renda familiar per capita abaixo de 1,5 salário mínimo e somente 7% atendidos nos restaurantes universitários e 245 alojados na Residência Estudantil.

Em contrapartida, a Universidade oferece parte de seu patrimônio – até 485 mil m² – para exploração comercial, por um período de até 50 anos. O projeto ainda está em fase de estudo e elaboração e, uma vez finalizado, será discutido com a comunidade universitária e submetido às instâncias deliberativas. A previsão é de que o Consórcio Fator/Galípolo/Pedro Taddei/VG&P apresente o projeto no fim de dezembro. Durante o recesso acadêmico, prevê-se que a comissão da Universidade que acompanha o projeto analise os estudos e produza um parecer a ser enviado à Reitoria da UFRJ a fim de que seja discutido no Conselho Universitário (Consuni).

O reitor em exercício buscou tranquilizar as pessoas presentes, haja vista a circulação de boatos. “É um compromisso político nosso que nós só levemos adiante a proposta caso ela seja aprovada no Consuni. É fundamental dizer que respeitaremos as decisões da comunidade”, afirmou. “Esse é um projeto da UFRJ e não de uma Reitoria”, complementou.

Clique aqui e confira como foi o debate. Acompanhe o andamento do projeto VivaUFRJ no site www.viva.ufrj.br.