Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ comemora 50 anos


Mesa de abertura. Foto: Artur Môes (Coordcom/UFRJ)

O Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) celebrou na quarta-feira, 11/12, o seu cinquentenário. A data foi marcada por uma congregação solene que teve a participação de docentes, técnicos-administrativos e estudantes. O evento contou com apresentações musicais, audiovisuais e homenagens a figuras importantes para o Instituto.

Compuseram a mesa de abertura Luiz Eurico Nasciutti, decano do Centro de Ciências da Saúde (CCS), José Garcia Abreu, Marcos Farina, Fábio Jorge Moreira da Silva e Daniel Bressan, diretor, vice-diretor, representante dos técnicos-administrativos e representante dos alunos de pós-graduação do ICB, respectivamente, além de Camila Vaccariello, representante dos alunos do curso de Biomedicina. Em seus discursos, todos compartilharam histórias vivenciadas no Instituto, mostrando sua importância para a UFRJ. Nasciutti resgatou a história do ICB e parabenizou a equipe: “O Instituto de Ciências Biomédicas comemora seu jubileu de ouro. São 50 anos de muito crescimento, de muitos desafios enfrentados, de inúmeras conquistas. E, ainda, com um grande caminho a ser percorrido. Parabéns e muito obrigado a todos os diretores, professores, funcionários técnico-administrativos e alunos, que vêm acompanhando, acreditando e participando com dedicação para o crescimento e desenvolvimento deste jovem Instituto”, festejou. 


Quinteto Experimental de Sopros. Foto: Artur Môes (Coordcom/UFRJ)

Na solenidade, houve também a apresentação do Concerto de Cordas e do Quinteto Experimental de Sopros da Escola de Música (EM) da UFRJ, além da exibição dos vídeos Os 50 Anos do ICB e Exposição ICB−50 Anos na Praia Vermelha. A exposição, que será inaugurada no início de 2020, remontará ao passado do Instituto, exibindo peças históricas que representam o presente e o futuro do ensino, da pesquisa e da extensão. No evento aconteceu, ainda, a entrega de prêmios de melhor tese de programas de pós-graduação e várias personalidades foram homenageadas. A comemoração encerrou-se com a inauguração da placa comemorativa dos 50 anos do ICB e um almoço de confraternização.

O ICB

O Instituto de Ciências Biomédicas foi criado em 1969, um período conturbado da história do país, sob o Ato Institucional nº 5, durante o regime militar. Inicialmente localizado na Praia Vermelha, veio para o prédio do Centro de Ciências da Saúde, na Cidade Universitária, Ilha do Fundão, em 1972.

Hoje, o ICB está organizado em quatro programas de graduação, três programas de pós-graduação, com conceitos 5 e 7 na Capes, seis programas de pesquisa e um programa de extensão. Seu corpo social, distribuído em 37 laboratórios de pesquisa e 7 salas multiusuárias, é formado por 79 docentes, 54 técnicos, tecnólogos e pessoal administrativo. São cerca de 400 estudantes. Oferece disciplinas de biologia celular, histologia, embriologia, anatomia e farmacologia para todos os cursos de graduação do CCS.  Essa estrutura permite que o Instituto produza ciência, integrando áreas como biologia do desenvolvimento, biologia celular, biologia tecidual, farmacologia, nanotecnologia, biomateriais, química medicinal, desenvolvimento de fármacos, terapia celular e neurociência.