Coronavírus: UFRJ dá orientações a laboratórios de pesquisa


foto: Diogo Vasconcellos (Panorama UFRJ)

A pandemia da COVID-19 tem feito a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) emitir boletins frequentes acerca do novo coronavírus e do funcionamento das diversas atividades da maior universidade federal do Brasil. No documento emitido nesta segunda (16/3), a Reitoria da UFRJ divulgou diretrizes para os mais de 1.400 laboratórios de pesquisa da Universidade.

Leia na íntegra:
 

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO PARA LABORATÓRIOS DE PESQUISA

Com relação às atividades de pesquisa, os laboratórios devem identificar as atividades essenciais e o que pode ser reduzido/suspenso. Idealmente, experimentos de longo prazo não devem ser iniciados nesse momento. O foco deve ser nas atividades que não podem ser interrompidas, como abastecimento de nitrogênio líquido e biotérios. Somente os próprios laboratórios serão capazes de identificar o que é essencial e não passível de interrupção. Seguimos com algumas recomendações:

 

  • Combine com seu orientador ou com a coordenação do laboratório as suas atividades durante o período de pandemia. Devemos assegurar o máximo de segurança possível no ambiente do laboratório, para todos os frequentadores. Portanto, identifique tarefas indispensáveis, urgentes ou inadiáveis. Tudo o que puder ser adiado deve ser feito até o final da fase crítica de expansão da pandemia no Rio de Janeiro. Os seminários e reuniões de dados do laboratório devem ser suspensos até segunda ordem. 

 

  • Não deixe de comunicar imediatamente ao seu coordenador/orientador qualquer caso de infecção respiratória (resfriado patente, sintomas de gripe, falta de ar etc.) em você ou em familiares e/ou pessoas próximas.

 

  • Lembre-se de que cada pessoa infectada por esse vírus tem potencial de transmiti-lo para, em média, outras 3 pessoas, e que o contágio ocorre mesmo a partir de quem ainda não apresenta sintomas. Ou seja, se você tem contato com alguém doente, pode ser infectado e transmitir o vírus para familiares ou quaisquer outras pessoas mesmo antes de ficar doente.

 

  • No laboratório, mantenha-se sistematicamente a uma distância de pelo menos 1,5 a 2 metros (braços abertos) de outros membros do laboratório. Organize suas atividades em comum acordo com os outros presentes, faça o que precisa ser realizado e volte para casa. 

 

  • Lave bem as mãos com sabão e com frequência; higienize chaves, celular, teclados e mouses com álcool 70% ou álcool em gel 60-70%; após o uso, limpe micropipetas e outros equipamentos e materiais de uso comum com álcool 70%. Alguns equipamentos não podem ser limpos com álcool, como os óculos de acrílico usados para pegar N2Liq, e devem ser higienizados com muita água e sabão.

 

Importante:

 

Em relação à manutenção das atividades essenciais, administrativas, assistenciais e de pesquisa, é preciso salientar o cuidado com servidores da UFRJ, terceirizados e discentes que apresentem sintomas de gripe ou resfriado. Nesse caso, TODOS devem entrar em quarentena produtiva (14 dias) e procurar atendimento médico caso ocorra agravamento do quadro respiratório.

A Reitoria da UFRJ está se reunindo com as empresas terceirizadas para que essas medidas de contingência sejam seguidas.

Como orientações adicionais, sugerimos que:

 

1. Acompanhem e sigam as recomendações gerais do Ministério da Saúde.

2. Acompanhem e sigam as recomendações específicas do Grupo de Trabalho da UFRJ sobre o Novo Coronavírus.

3. Não confiem em informações ou conselhos veiculados pelas redes sociais sem confirmação por entidades ou fontes oficiais.

 

A Reitoria da UFRJ recomenda, ainda, a manutenção das demais diretrizes de contingência da COVID-19, amplamente divulgadas no site www.coronavirus.ufrj.br.

O Grupo de Trabalho tem emitido instruções técnicas relevantes sobre as ações relacionadas à pandemia e, sempre que necessário, emitirá novas orientações.

Devemos confiar nas decisões que visam ao bem comum, respeitando-as. Todas as ações devem ser articuladas, programadas e voltadas a minimizar a propagação da doença. Essa pandemia não é razão para pânico, mas um momento de tomar as medidas de prevenção necessárias, com disciplina e tranquilidade.

Estamos trabalhando em articulação com o poder público e as empresas terceirizadas. Devemos, TODOS, estar conscientes de que as instruções mais específicas chegarão em breve. Nossa universidade é diversa.

Ações para evitar pânico ou algum tipo de injustiça estarão em nossas instruções normativas, que não são definitivas neste momento de crise.

 

16/3/2020
Reitoria da UFRJ