Primeiro passo para investimento de R$ 5 milhões em ventiladores


Ventilador de exceção da UFRJ é 90% mais barato que um tradicional
foto: Divulgação/Coppe-UFRJ

Na última quinta-feira, 30/4, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou o Projeto de Lei (PL) 2.477/20. É o primeiro passo para que os recursos do Fundo Especial da Alerj possam ser usados para custear projetos de centros de pesquisas tecnológicas, como o do Ventilador de Exceção para COVID-19 – UFRJ (VExCo), desenvolvido por pesquisadores do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe/UFRJ), para o qual a Alerj pretende destinar R$ 5 milhões.

Segundo a Alerj, o PL, que altera a Lei Estadual de 2011, será encaminhado para sanção do governador Wilson Witzel.

O valor será utilizado na compra das peças para a produção de mil unidades do VExCo, cujo valor unitário, de aproximadamente R$ 5 mil, é cerca de 90% mais barato que os ventiladores convencionais disponíveis no mercado, que custam cerca de R$ 50 mil. O objetivo é acelerar o atendimento às demandas hospitalares por esse equipamento, fundamental para o tratamento de pacientes graves com COVID-19.

Os testes in vitro do ventilador de exceção foram concluídos com sucesso por pesquisadores da Coppe e os resultados foram submetidos à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para obtenção do parecer da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) para que o equipamento possa ser testado em pacientes do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ).

“O ventilador que desenvolvemos é um recurso simples e seguro, porém emergencial, que deve ser utilizado somente quando não houver um equipamento padrão disponível, como já acontece em outros países. Os ventiladores não serão comercializados, mas distribuídos para os hospitais e posteriormente doados ao Sistema Único de Saúde (SUS)”, afirmou Jurandir Nadal, pesquisador da Coppe e coordenador do projeto.


Ventiladores serão doados ao SUS
foto: Divulgação/Coppe-UFRJ

De acordo com Denise Carvalho, reitora da UFRJ, os pacientes do HUCFF estarão entre os que usarão os respiradores projetados pela Coppe. Ela destaca que, no combate ao coronavírus, a Universidade já produziu 35 mil litros de álcool 70%, realiza testes sorológicos junto à Fiocruz, projetou máscaras em 3D e está com um corpo de pesquisadores realizando um trabalho multidisciplinar.

A proposta de doação de recursos da Alerj para a produção de equipamentos foi definida no dia 29/4, durante audiência pública virtual da Comissão de Ciência e Tecnologia, presidida pelo deputado estadual Waldeck Carneiro (PT), que também é um dos autores do projeto.

A mudança nas regras do Fundo Especial contempla as universidades estaduais e federais, além de programas de saúde, educação e segurança pública. O texto do projeto determina que a aplicação dos recursos seja fiscalizada pelos órgãos competentes, estaduais e federais. De acordo com o presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), o repasse inicial de R$ 5 milhões para a fabricação dos ventiladores ainda poderá ser ampliado.

“Estamos otimistas. Esperamos que os investimentos cheguem a tempo para que possamos contribuir para salvar vidas”, ressaltou Romildo Toledo, diretor da Coppe.

O VExCo foi desenhado para ser reproduzido em massa, de forma simples, rápida, barata e com recursos disponíveis no mercado nacional. A iniciativa conta com o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e a colaboração da Petrobras e Whirlpool.

Da Assessoria de Comunicação Social da Coppe/UFRJ