Alunos da Faculdade de Medicina da UFRJ têm colação antecipada


Pedro e outros formandos tocavam música para pacientes internados
no HUCFF/UFRJ - foto: Acervo pessoal

Mais esforços chegando! Na última quarta-feira, 29/4, 56 alunos da Faculdade de Medicina (FM/UFRJ) se formaram sob antecipação de colação de grau, depois de cumprirem os requisitos mínimos. A solenidade de conclusão de curso aconteceu virtualmente, um marco inédito na história da FM. Mais que uma formalidade, um passo importante para que os médicos recém-formados possam se paramentar a fim de salvar vidas em meio à pandemia da COVID-19.

Pedro Freitas, 24 anos, é um desses 56 novos médicos formados pela UFRJ que optaram em ir para a linha de frente no combate à doença provocada pelo novo coronavírus.

“Antes de me formar, continuei no meu estágio voluntário durante a pandemia e tenho mantido contato virtual e conversado com amigos médicos. Por isso tenho uma noção do que me espera, agora como médico. É uma doença complexa, de caráter subagudo, que exige muito dos profissionais de saúde – física, técnica e emocionalmente. Seu grau de propagação é cruel, atingindo progressivamente também os profissionais de saúde, reduzindo sua oferta no tempo em que mais são necessários”, afirma Pedro.


Pedro Freitas - foto: Acervo pessoal

“Sei que nós, recém-formados, não somos muitos, não somos experientes, mas, certamente, seremos essenciais nesta crise mundial que sobrecarrega o nosso sistema de saúde e nosso país”, acrescenta.

Até o último levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS), de 4/5, a COVID-19 já acumulava mais de 3,4 milhões de casos confirmados em todo o mundo, 241 mil mortes e 215 países, áreas ou territórios afetados. Os números podem assustar, mas também geram aquele desejo de virar o jogo. “Ao me formar em Medicina, no meio deste contexto, eu me lembro cada vez mais porque escolhi esse caminho: poder ajudar o próximo, fazer a diferença, mesmo que pequena, para a vida de uma pessoa ou até da nossa sociedade”, diz Pedro, que afirma estar orgulhoso em ter se formado pela maior universidade federal do país.

“Sou médico recém-formado pela UFRJ, uma universidade pública, e tentar devolver o investimento que a sociedade impôs na minha formação e atuar na linha de frente é para mim um dever”, conclui Pedro.

 


Palácio Universitário - foto: Acervo Coordcom/UFRJ

A Faculdade de Medicina da UFRJ

Fundada em 1808, antes mesmo da existência da UFRJ, a FM conta com quatro cursos de graduação, sete de pós-graduação, 14 departamentos e 425 docentes. Notáveis alunos se formaram na FM, como, por exemplo, Carlos Chagas, Emílio Ribas, Ivo Pitanguy, Oswaldo Cruz e Vital Brazil. A reitora da UFRJ, Denise Carvalho, também é graduada pela FM.

A excelência do corpo docente e a produção científica de notável envergadura acadêmico-científica são atributos da FM reconhecidos no Brasil e no exterior. Trata-se de um patrimônio que confere à Faculdade de Medicina da UFRJ um lugar de destaque entre as melhores em um contexto mundial.

Nesse panorama, transitam o ensino, a pesquisa, a extensão e a assistência, com a integração da Faculdade com o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF) e as demais unidades hospitalares da Universidade, facilitando a interação para um processo ensino-aprendizagem de qualidade, nos diversos cenários de prática.