CEG emite nota de apoio aos estudantes do Cederj/UFRJ


foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

No dia 20/5, o Conselho de Ensino de Graduação (CEG) emitiu nota de apoio aos estudantes do Centro de Educação a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cederj), face à depreciação que têm sofrido nas redes sociais.

 

Leia na íntegra:

 

Diante do avanço da pandemia da COVID-19, a Universidade Federal do Rio Janeiro (UFRJ) começa a debater formas alternativas de ensino que podem vir a ser utilizadas na graduação durante e após a pandemia. A iniciativa tornou propício o surgimento de diversas críticas por parte da comunidade acadêmica, considerando os problemas que poderiam se apresentar com a adoção de ferramentas de ensino a distância para os cursos presenciais, parte de um processo saudável de debate.

No entanto, pôde-se observar nas redes sociais o surgimento de críticas, ataques e comentários pejorativos em desrespeito a essa modalidade de ensino e seus respectivos estudantes. Estudantes estes que, por diversas vezes, encontram no ensino a distância a única maneira de ter acesso ao ensino superior. Estudantes que têm em muitos dos seus cursos notas Enae iguais às dos cursos presenciais. Estudantes estes que, depois de formados, muitas vezes ingressam no magistério superior desta universidade e se destacam como excelentes docentes e profissionais.

Ressaltamos que há duas décadas a Universidade Federal do Rio de Janeiro forma estudantes através da modalidade de ensino a distância em parceria com o consórcio de universidades públicas sediadas no Estado do Rio de Janeiro (Cederj). Além da UFRJ, participam deste consórcio a Uerj, Uenf, UFF, UFRRJ, Unirio e Cefet-RJ.

Os cursos têm material didático próprio, especialmente preparado para a educação a distância, incluindo impressos, videoaulas e recursos multimeios. Contam, ainda, com sistema de apoio à aprendizagem baseado em duas formas de tutoria: presencial, que disponibiliza ao discente dos períodos iniciais um encontro semanal de duas horas por disciplina no polo regional a que está vinculado; e a distância, em que o estudante tem acesso, pela plataforma Cedehr e por telefone, a todas as disciplinas.

A UFRJ já formou 915 estudantes nessa modalidade de ensino e atualmente apresenta 3.607 estudantes com matrícula ativa nestes cursos e disponibilizou este ano 1.160 vagas para cursos de graduação a distância no segundo semestre. Esses estudantes saem da UFRJ com um diploma como todos os outros estudantes de cursos presenciais. São dignos e merecedores de seu título de graduação e devem ser respeitados por parte de todo o corpo social desta Universidade.

O Conselho de Ensino de Graduação da UFRJ repudia ações que promovam depreciação e estigmatização em críticas sem fundamento e não embasadas que venham a ser feitas a essa modalidade de ensino e seus discentes. Ampliar e interiorizar a oferta de cursos e programas de educação superior é uma missão a ser perseguida pela universidade pública e não combatida. A educação a distância é um instrumento para que se alcance este objetivo e deve ser preservada.